Featured, Netflix

Os Defensores: as origens de Alexandra foram explicadas

Dentre todas as curiosidades que permeiam a série d’Os Defensores da Marvel, com toda certeza o papel e a verdadeira identidade da personagem Alexandra Reid (Sigourney Weaver) deixou muita gente com uma pulga atrás da orelha. Desde que Weaver foi revelada na San-Diego Comic Con 2016 para ser a antagonista principal da trama da Netflix, a especulação entre os fãs foi desenfreada quanto a quem ela realmente é. O co-showrunner Marco Ramirez já havia afirmado que ela era um personagem original, alimentando a discussão ainda mais: Alexandra era verdadeiramente original, ou seria secretamente um vilão dos quadrinhos?

E Ramírez não estava mentindo, no final das contas. Reid é uma criação original, sem referências aos quadrinhos. No entanto, ela é um personagem original dentro de uma estrutura muito conhecida: o Tentáculo. O grupo místico, cujas explorações criminosas assolam as ruas de Hell’s Kitchen e a maior cidade de Nova York há anos, tem sido o grande mal que Os Defensores construíram desde a temporada um do Demolidor. Gradualmente, mais e mais da organização misteriosa foi revelada em várias séries, com tudo acontecendo agora enquanto Matt Murdock, Luke Cage, Jessica Jones e Punho de Ferro enfrentam Alexandra e os outros quatro membros para salvar a cidade de Nova York.

Mantendo o tema definido por Wilson Fisk no primeiro dia do Demolidor, Alexandra Reid é uma mulher de grande valor e gosto exemplar. Ela curte apresentações privadas de música clássica, e ela também come em estabelecimentos de alto nível. Ela representa uma hierarquia de classe superior, onde cada um dos defensores tem enfrentado de várias maneiras em toda a sua série solo. Ela também está, como vemos em sua cena introdutória, morrendo de insuficiência incurável. Ela e o resto do Tentáculo mantiveram-se vivos de forma antinatural durante séculos, e seu corpo começou a se livrar de uma velhice muito longa.

TENTÁCULO

A organização é um pequeno grupo de cinco seres no centro de uma empresa com ramificações mundiais. Ao longo dos séculos, eles seguem moldando a história com seus próprios fins para sobreviver e prosperar, com Alexandra à frente do grupo. Alexandra é seu líder, guiando-os para o seu destino enquanto tentam se preservar na vida eterna.

Alexandra e o restante do grupo formou o tentáculo enquanto eles treinavam juntos em K’un Lun. Eles foram banidos da cidade perdida depois que eles perverteram os ensinamentos para ganhar a imortalidade. A partir daí, eles se envolveram em uma rede de explorações criminosas e movimentos secretos sempre difundidos, a fim de influenciar pessoas de poder e oportunidades, fornecendo cobertura enquanto continuam sua tentativa de viver para sempre. Para evitar a morte, Reid e os outros dedos de tentáculo – Madame Gao (Wai Ching Ho), Bakuto (Ram óN Rodríguez), Sowande (Babs Olusanmokun) e Murakami (Yutaka Takeuchi) – estão rastreando o planeta para lugares de interesse místico que contêm osso de dragão para criar um elixir que, se usado regularmente, pode prevenir a morte. Eles se mascaram como várias empresas e corporações, transferindo ativos em uma frente contínua com a Reid como o CEO recorrente. Stick, cujo grupo rival “O Casto” tem lutado contra o tentáculo por décadas, aponta para dois grandes eventos históricos, o vulcão em Pompéia e o colapso nuclear em Chernobyl, como causado pelo grupo para acessar esses fósseis.

A cidade de Nova York era seu último alvo, com o Punho de Ferro de Danny Rand sendo necessário para acessá-lo, colocando os defensores diretamente em oposição ao plano de Alexandra de destruir a cidade.

CÉU NEGRO

O retorno de Elektra é inteiramente graças a Alexandra. Reid convence ao tentáculo para permitir que ela use o último suprimento de sua cura milagrosa para trazer Elektra de volta da morte como uma arma, apelidada de “Céu Negro“. Sabe-se que o tentáculo vem procurando por um “Céu Negro” por muito tempo, depois que Stick matou um menino, para evitar que ele fosse usado na 1ª temporada do Demolidor.

Elektra, então, é trazida de volta à vida e Alexandra treina a antiga amante de Matt Murdock e a transforma em um assassina subserviente para ajudar no sequestro de Danny Rand. Uma vez que os Defensores se envolvem, no entanto, as coisas ficam complicadas e, ouvindo Matt, seu nome desencadeia memórias de sua vida anterior que fazem com que Elektra duvide de seus novos mestres. Para recuperar a lealdade de Elektra, Alexandra conta a ela sobre como sua filha morreu de câncer, que foi o catalisador para Alexandra viajar para K’un Lun. Reid vê Elektra como uma substituta para a criança que ela não poderia ressuscitar, e toda a ideia do Céu Negro é, portanto, um empreendimento profundamente pessoal para ela.

É implícito que Alexandra é a mais poderosa do tentáculo [ou era, antes de ser morta pela própria Elektra], mas, ao contrário dos outros, nunca a vemos no combate ativo além de como ela lida com o ataque de Elektra após sua ressurreição. No entanto, ela atende a ameaça de qualquer retaliação de um colega sem uma pitada de medo, mesmo quando os três começam a desafiá-la. Ela é obviamente brilhante, demonstrando um profundo conhecimento da história musical e falando outras línguas, tendo feito bom uso dos muitos séculos extras para estudar sua linguística e manter as artes. Como Wilson Fisk, ela não é obviamente má, mas sim, simpática e complicada. Ela é uma matriarca dominante e como um adversário, ela é o tipo de desafio poderoso que os Defensores de Nova York já podem ir se acostumando.

A série dos Defensores já está disponível na Netflix e você poderá saber mais novidades clicando aqui!

Neste sino do lado inferior esquerdo, você se inscreve pra não perder nenhuma notícia do nosso site, assim você ficará sempre por dentro das últimas notícias do mundo geek ou se preferir curta nossa página no Facebook.

Deixe um comentário