Pantera Negra: filmagens do longa podem iniciar em janeiro

Publicidade
0
248
Publicidade

O filme com raízes africanas dentro da Marvel começará a ser filmado em breve. Segundo a imprensa norte-americana, o filme solo do Pantera Negra tem previsão de iniciar suas gravações já em janeiro de 2017.

Ao que tudo indica, Pantera Negra começará a ser filmado no Atlanta’s Pinewood Studios, em Atlanta, Estados Unidos, a partir de 15 de janeiro de 2017, e terá em seu elenco majoritariamente atores africanos ou descendentes.

O filme será protagonizado por Chadwick Boseman – que já estreou como T’Challa em Capitão América: Guerra Civil -, mas vai contar também com Michael B. Jordan, Danai Gurira e Lupita Nyong’o.

Sob a direção de Ryan Coogler, Pantera Negra tem previsão de estreia marcada para 16 de fevereiro de 2018.

E o que esperar do Rei de Wakanda nessa produção? Para esclarecer um pouco do que veremos no longa, o roteirista Joe Robert Cole, um dos responsáveis pela produção, revelou um pouco do que o projeto promete entregar aos fãs da editora.

De acordo com Cole, o filme de Pantera Negra começará após o desfecho de Guerra Civil. “O nosso filme vai começar logo depois dos eventos de Guerra Civil, então você vai vê-lo passar por um processo de luto, e também aos poucos se acostumar com sua posição como líder da nação”, contou o roteirista.

+ Mais um vilão é escalado para o elenco do Pantera Negra

Segundo Cole, o filme vai lançar um olhar de reconhecimento sob o Pantera Negra, fazendo muitas menções a sua origem e apresentando ele ao público que ainda não o conhece. “O país estará sob ameaça interna e externamente, então vamos aprender o que Wakanda é: aquela nação como sendo a mais avançada tecnologicamente do planeta. Além disso, conforme a ascensão de Wakanda acontece, ela irá afetar o MCU mais à frente, o que é realmente emocionante”, completou Cole.

Cole ainda acrescenta que a herança cultural de Wakanda será logicamente inspirada em nações africanas reais.

“África é uma nação tão grande. Existem tantos países, cada um deles com histórias diferentes, mitologias e culturas, mas o que tentamos fazer foi captar algo da história, algo das influências culturais e extrapolar isto para a nossa tecnologia, extrapolar isso para a nossa visão de Wakanda e as diferentes partes do país e a cultura deste país também. Então tentamos enraizar tudo na realidade e em seguir construir a partir disto”, conclui.